Televendas: (31) 3063-8989
Central de Atendimento
(31) 3063-8989 (31) 98462-5344 @ sac@naturecenter.com.br Segunda à Sexta-feira de 8h às 19h.
Sábado de 9h às 13h.
Mostrando 8 Produtos em 1 páginas
Mostrando 8 Produtos em 1 páginas

O que Causa Varizes

As varizes, ou insuficiência venosa crônica, têm incomodado a humanidade desde os primeiros registros da sua história. A evolução do homem o fez andar sobre os dois pés, deixando para trás o hábito de apoiar-se em quatro membros. A força da gravidade, então, representou uma dificuldade natural para que o sangue circulasse dos membros inferiores até o coração. Essa resistência, aliada à predisposição genética, à idade e ao estilo de vida, são os fatores determinantes para que as veias não mais consigam impulsionar o sangue na direção contrária à gravidade, cedendo à pressão e deformando-se.

O processo acontece porque as válvulas que se abrem e se fecham para o sangue passar em direção ao coração param de funcionar, ou seja, deixam de fechar-se após a passagem do sangue, fazendo com que parte do sangue desça e acumule-se nas veias.

Embora ocorram em indivíduos do sexo masculino, as varizes são mais comuns em mulheres. Cerca de 45% delas apresentam a condição.

Outros fatores que contribuem para a formação das varizes são o sedentarismo, a imobilidade, a obesidade e o tabagismo, sendo essas causas possíveis de serem evitadas.

 

Tipos de Varizes

Embora o aparecimento de varizes seja determinado, de forma predominante, por fatores genéticos, idade e sexo, existem sim fatores de risco que podem ser evitados para minimizar ou retardar a deformação da veias.

O primeiro deles é o sedentarismo. Praticar atividades físicas é de vital importância para quem quer evitar ou tratar as varizes, uma vez que o movimento proporcionado pelo exercício físico estimula o sistema circulatório e retorno do sangue ao coração.

Deve-se ainda evitar a imobilidade, seja por razões de trabalho ou viagem. Fazer alongamentos (especialmente nos membros inferiores) e caminhar um pouco são importantes para a circulação do sangue.

Obesidade é outro fator de risco para as varizes, uma vez que a gordura em excesso sobrecarrega o sistema circulatório, aumentando o risco de se desenvolver varizes. A gordura abdominal, de forma especial, aumenta a pressão arterial, dificultando o fluxo do sangue, contribuindo para a deformação das veias.

O tabagismo deve ser evitado como forma de prevenção às varizes. O hábito de fumar deixa o sangue mais espesso, o que facilita a sua acumulação nas veias.

 

Tratamento de Varizes

O tratamento de varizes varia de acordo com o tipo e as característica da varizes, podendo ser aplicação de laser, espuma, glicose ou no último caso, cirurgia.

No caso de tratamento a laser, conhecido como escleroterapia, o objetivo é eliminar varizes pequenas e médias próximas ao nariz, bochechas, tronco e pernas. O tratamento não é invasivo e não causa muita dor.

A aplicação de espuma, chamada de escleroterapia com espuma, é eficaz nas varizes de pequeno calibre, sendo mais indicada para os vasinhos e para as microvarizes. Trata-se da mistura de gás carbônico com um líquido, aplicados nas varizes, fechando a veia. Esse tipo de tratamento é praticamente definitivo.

A ingestão diária de castanha da índia é um tratamento natural para as varizes. Trata- se de uma planta medicinal com propriedades que melhoram a circulação sanguínea, normalmente utilizado como complementação ao tratamento indicado pelo médico. A castanha da índia pode ser adquirida na Nature Center, pelo link: https://www.naturecenter.com.br/p/castanha-da-india-fructus-aesculi-60-capsulas- clinicmais.

A utilização de fitoterápicos é comumente recomendada como tratamento para as varizes. Substância como a Novarrutina e o Antistax possuem propriedades capazes de aliviar a dor e o inchaço das pernas com varizes. Outros remédios caseiros são o suco de uva e a compressa de couve.

Por fim, a forma de tratamento de varizes mais graves e a mais invasiva – recomendada em último caso – é a cirurgia. É indicada quando as varizes são muito grossas, superando  um dedo de calibre. Nesses casos, é comum haver inchaço nas pernas, além de dor e coceira, gerando complicações.

Como forma de tratamento complementar aos procedimentos indicados acima, pode- se usar meias elásticas de compressão diariamente. Através do método de compressão, as meias ajudam a aliviar os sintomas desagradáveis gerados pelas varizes. Pode-se colocar as meias pela manhã e retirá-las para tomar banho e dormir.

Exercícios físicos também são recomendados para o tratamento das varizes, pois contribuem para a circulação do sangue nas veias, melhorando a capacidade cardíaca.

 

Como ocorre a Circulação Sanguínea

A circulação sanguínea é responsável por abastecer as mais diversas partes do corpo humano com oxigênio e alimento, processados em diferentes órgãos internos. Além disso, o sistema circulatório é responsável por retirar a “sujeira”, representados pelo gás carbônico e pelos alimentos que não serão aproveitados pelo organismo após processados pelo sistema digestivo. É a circulação sanguínea, através dos capilares, que vai levar esses produtos descartados para serem filtrados pelos rins.

O sangue, embora pareça um líquido uniforme, possui diferentes elementos em sua composição, cada um com sua função específica. Nos seres humanos, é formado pelo plasma (parte líquida), glóbulos brancos (células do sistema imunológico), glóbulos vermelhos (células vermelhas que fazem o transporte de gases) e plaquetas (responsáveis pela coagulação do sangue).

O sangue é bombeado do coração ao restante do corpo pelas artérias, que possuem veias mais espessas para aguentar a pressão do sangue de cima para baixo. No caminho inverso, estão as veias, que carregam o sangue venoso dos tecidos ao coração, lutando contra a gravidade. Para que o sangue não desça por força da gravidade – o que seria normal pelo estado líquido do sangue – as veias humanas são adaptadas com pequenas válvulas em suas paredes. Isso faz com que, após o sangue passar por essas válvulas, elas se fechem e não o deixem descer. Com menor velocidade que desceu, o sangue vai aos poucos subindo ao coração.

A circulação sanguínea pode ser dividida em pequena circulação e grande circulação. No primeiro caso, o sangue percorre o caminho do coração aos pulmões e dos pulmões ao coração, momento em que ocorre o depósito de sangue venoso (carregando gás carbônico) e a saída do sangue arterial (contendo oxigênio).

A grande circulação, por sua vez, é o momento em que o sangue percorre o caminho do coração aos demais tecidos do corpo e vice-versa. É o momento em que o corpo recebe o oxigênio e os nutrientes necessário para sua alimentação, bem como, no caminho de volta, o momento em que o gás carbônico é recolhido nas veias e levado ao coração.

 

Sintomas de má circulação

Sentir os pés e as mãos frias ou mesmo a sensação de formigamento dos membros pode indicar problemas na circulação sanguínea. Além disso, são sintomas recorrentes desse problema o inchaço nos tornozelos, o aparecimento de varizes, rachaduras no calcanhar e a sensação de pernas pesadas. Se não for tratada, a má circulação pode gerar tonturas, fadigas, perda de cabelo e alguns distúrbios digestivos, por isso é necessário ficar atento e procurar um médico sempre que achar necessário.

A má circulação pode atingir qualquer faixa etária, mas é encontrada mais facilmente em idosos e mulheres. O uso de pílula anticoncepcional e a condição de estar grávida são fatores que podem facilitar o aparecimento dessa condição. Pessoas com diabetes, hipertensão e colesterol alto estão mais propensas a desenvolverem má circulação sanguínea.

Fique atento ainda aos seguintes sintomas: pele seca ou escamosa, coceira nas pernas, manchas vermelhas nas pernas, cor pálida ou azuladas nos locais de má circulação, cãibras nas pernas, sensação de formigamento ou dormência e ausência de pelos nas pernas.

 

Tratamento para má circulação

O tratamento caseiro para a má circulação deve ser complementar ao tratamento médico, quando houver necessidade de intervenção medicamentosa. Para isso, são necessários hábitos saudáveis, entre eles, a ingestão de 2 litros de água por dia, uma alimentação rica em ingredientes que estimulem a circulação sanguínea (alho, por exemplo), praticar atividade física regularmente, entre outros.

A alimentação é um fator essencial para quem quer aliviar os sintomas da má circulação. Alguns alimentos têm a propriedade de estimular o sistema circulatório e reduzir inchaços. As fibras são grandes aliadas nesse processo, sendo obtidas pela ingestão de frutas e verduras, entre outros.

Alimentos contendo ômega 3 também são indicados no tratamento, uma vez que fluidificam o sangue, auxiliando na sua circulação pelas artérias e veias. Alguns alimentos ricos em ômega 3 são salmão, sardinha e atum. Alimentos antioxidantes também são aliados no combate à má circulação. A orientação nesse caso é consumir amêndoas e castanha-do-pará – com forma de proteger os vasos sanguíneos – abacate e iogurte (ricos em potássio), para regular a quantidade de água no interior das células. É sabido que, se as células sanguíneas se tornarem muito espessas por excesso de hidratação, podem ter dificuldades para passar pelos vasos sanguíneos, o que representa a intoxicação por água.

O consumo de sal e bebidas alcoólicas é um fator de risco para a má circulação sanguínea e deve ser evitado ou diminuído.

É necessário salientar que, em alguns casos, a má circulação pode ter origem em um problema de pressão alta, diabetes, aterosclerose ou insuficiência renal. Em casos mais graves, o problema pode gerar tromboflebite superficial, ou trombose venosa profunda, quando é necessário o uso de medicamentos para o tratamento efetivo.

Algumas medidas simples podem ser tomadas como forma de aliviar os sintomas da má circulação. Uma delas é elevar as pernas ao sentar, uma vez que facilita o retorno do sangue dos membros inferiores ao coração. Outra medida é evitar a imobilidade, ou seja, ficar numa posição estática por muito tempo. As meias de compressão também podem ser grandes aliadas no combate aos sintomas.

 

Como melhorar a circulação sanguínea

A mudança de hábitos é uma grande aliada na melhoria da qualidade de vida em geral. Isso ocorre também no caso da circulação sanguínea, uma vez que hábitos alimentares e estilo de vida podem refletir positivamente na melhoria da circulação do sangue.

Exercício físico é um grande aliado da saúde em geral. Colocar um tênis e fazer uma caminhada pode auxiliar e muito a vazão do sangue nas veias, uma vez que força o sangue a circular nos vasos com mais pressão. Isso faz com que as veias se expandam, tornando mais eficientes a passagem do sangue por elas.

Ainda como forma de movimentar-se, procure utilizar as escadas. Uma das veias que bombeia o sangue em direção ao coração passa por dentro da panturrilha, por isso, quando mais esse músculo for contraído, melhor será a circulação sanguínea, auxiliando no retorno do sangue ao coração.

Outra recomendação é fazer alongamentos. O corpo humano foi feito para movimentar-se, por isso, ficar muito tempo parado em uma única posição não interessante para a saúde.

O estresse é um fator de risco para a circulação sanguínea e para a saúde em geral. Ficar estressado pode fazer com que os vasos sanguíneos se contraiam, dificultando o fluxo sanguíneo. Por isso, faça relaxamentos, meditações ou atividades que lhe proporcionem prazer. Além disso, durma bem e vá a um massagista de vez em quando.

No quesito alimentação, são vários os alimentos que auxiliam na melhoria da circulação sanguínea. Entre eles, o melaço, as pimentas (com função vasodilatadora), o gengibre e o açafrão (com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes).

Por fim, mas não menos importante, a dica é parar de fumar. A nicotina machuca as paredes das artérias e aumenta a chance do aparecimento de varizes. Além disso, o hábito de fumar contrai os vasos sanguíneos.


 

Visitados

O que falam sobre nós

Acesse
o blog